Portal no Facebook Portal no Twitter Portal no YouTube Blog do Portal Portal nas Redes Sociais

Confira a campanha e apoie! Obrigado!

Confira!

Cidadania e Direitos da 3a Idade... Entrevistas: Mercado de Trabalho, Transportes, Economia... Entrevistas: Saúde e Bem-estar... Reportagens... Confira programação completa... Confira!

Portal Terceira Idade
Notícias do Cidadão Notícias do Cidadão Espaço Livre Espaço Livre Shows e Eventos Shows e Eventos Cursos e Atividades Cursos e Atividades Parcerias Parcerias Direitos 3a.Idade Direitos 3a.Idade

Diálogo Aberto

Enquete "Você acha
que...?"
Enquete
Cadastre-se Cadastre-se
no Portal
3a.Idade!
Busca Procurando
algo no site?
Busca
Pesquisa Links para
Pesquisa
Mural de Trocas Anuncie
seu produto!
Mural
de Trocas
Fale Conosco Dúvidas?
Sugestões?
Críticas?

Fale
Conosco
Dicas de Internet "Download"?
"Browser"?
Dicas
de Internet

Colméias da 3a.Idade
Colméias da 3a.Idade
Escolha o seu assunto e participe de nossas salas de chat temáticas

Notícias do Cidadão
Notícias

Dia Internacional da Mulher - Símbolo
Betty Friedan foi um símbolo de luta pelos direitos das mulheres
Conhecida mundialmente como uma das principais arquitetas do movimento de liberação feminina do final dos anos 1960, no fim da vida, voltou-se para a discussão sobre como a sociedade trata os idosos
Por: Caroline Fernandes Mussato
Jornalista, formada pela Unimar e autora do livro ‘Vivendo’, é colunista convidada do Portal Terceira Idade
Fale com o colunistaFale com o colunista
Fale com o colunista
Betty Friedan foi uma das principais arquitetas do movimento de liberação feminina

Para a americana Betty Friedan, a discriminação contra a mulher é mais grave para a saúde física e mental de seu país que qualquer doença conhecida

o mês do Dia Internacional da Mulher, celebrado em todo o mundo no dia 8 de março, não poderíamos deixar de lembrar de Betty Friedan, que se tornou conhecida mundialmente como uma das principais arquitetas do movimento de liberação feminina do final dos anos 1960.

Nascida em 4 de fevereiro de 1921, nos Estados Unidos, a escritora e pioneira feminista faleceu, em razão de um problema cardíaco, no dia de seu aniversário, em 2006, aos 85 anos.

Igualdade de oportunidades para a mulher

Betty Friedan, em 1978, durante passeata em defesa da igualdade dos direitos da mulherSeu primeiro livro, com o título “A Mística Feminina”, de 1963, é uma análise apaixonada – mas contundente e clara – das questões que afetaram as mulheres nas décadas que se seguiram a Segunda Guerra Mundial: a domesticidade forçada, as perspectivas profissionais restritas e a campanha pela legalização do aborto.

A ideia para “A Mística Feminina” surgiu de um encontro de ex-alunos do Smith College, colégio onde estudou, quando comprovou que suas antigas colegas estavam tão insatisfeitas em sua vida do lar como ela, que tinha se casado em 1947 com Carl Friedan, de quem se divorciou em 1969.

Na obra, Friedan se queixava da perda de potencial das mulheres dos EUA pela discriminação social, e denunciava que elas eram vítimas de um sistema que as forçava a encontrar satisfação pessoal de forma indireta, através do êxito de seus maridos e filhos.

“As mulheres americanas estão impedidas de crescer até atingir sua capacidade humana total. Este ‘problema sem nome’ é mais grave para a saúde física e mental de nosso país que qualquer doença conhecida”, afirmou Friedan em um dos trechos do livro.

Como a sociedade trata os idosos

Em 1966, Friedan ajudou a fundar a Organização Nacional de Mulheres (NOW, na sigla em inglês), da qual foi a primeira presidente. Em 1969, foi uma das fundadoras da Associação Nacional para a revogação das Leis do Aborto, hoje conhecida como Naral América Pró-Escolha. Em 1971, com Gloria Steinem e Bella Abzug, fundou o Organização Política de Mulheres.

Muitos dos aspectos da vida moderna que hoje parecem corriqueiros – desde os anúncios de “Procura-se Profissional”, que não especificam o sexo do profissional procurado, até a presença das mulheres na política, medicina, no clero e nas forças armadas – é consequência direta das conquistas que ela ajudou as mulheres a conseguir.

No final da década de 80, sexagenária, voltou-se para a discussão sobre como a sociedade trata os idosos. É dessa época o livro “The foutain of age” (A fonte da idade).


Fotos/ilustrações: divulgação
Mais sobre o assunto na internet
O Globo > Cultura > Mulheres - Direitos
Nos anos 60, a americana Betty Friedan lançou as bases do moderno feminismo
Em ‘A mística feminina’ ativista, que morreu há dez anos, disse que ser dona de casa era como ‘estar num campo de concentração confortável’. No fim da vida, defendeu idosos
Mais sobre o assunto no Portal Terceira Idade
Notícias > Dia Internacional da Mulher - História
“One Woman”: uma celebração musical contra a violência à mulher
A música, escrita para a ONU Mulheres, conta com a participação de 25 artistas de 20 países distintos, com a cantora Bebel Gilberto representando o Brasil. Desde 1975, a data criada pela ONU é comemorada mundialmente no dia 8 de março
Sexualidade na Terceira Idade > Anteriores > Mulher - Preconceito
Prazer: um direito dele e dela
Estando o homem no poder político, ele acabou levando esse poder "para a cama", prevalecendo, na relação sexual, o comando masculino

Outras Notícias

Portal Terceira Idade® é uma realização da
Associação Cultural Cidadão Brasil
©Todos os direitos reservados
Desenvolvimento, Webdesign e Sistemas: Auika - Web & Graphic Design